Voltar

CANTINHO DA IMPRENSA

SINDIFISCO- MT / Release


Fisco nacional planeja ações para 2018

29/01/2018

O presidente do SINDIFISCO-MT, Ricardo Bertolini, participou da reunião ordinária da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (FENAFISCO) para dar continuidade a elaboração do planejamento estratégico da entidade e para definição das ações que serão implementadas em 2018.

Reunidos em Brasília entre os dias 24 e 26 de janeiro, foram definidas as ações estratégicas para reforçar a mobilização parlamentar no Congresso Nacional, promover maior integração junto às assessorias de comunicação dos sindicatos filiados e aproximar a Fenafisco da sociedade.

“A elaboração do planejamento estratégico foi coordenada por uma consultoria especializada numa demonstração da seriedade de fazer um trabalho sério e executável”, afirma Bertolini.

Projetos prioritários como o fortalecimento do combate à Reforma da Previdência (PEC 287/16) foram amplamente discutidos, assim como diretrizes para incluir a proposta de Reforma Tributária, (encabeçada pela Fenafisco e Anfip), no debate eleitoral deste ano.

Na oportunidade, os dirigentes do Fisco fizeram uma breve análise do cenário político e concluíram que 2018 tende ser um ano difícil, preparatório para 2019 e 2020, momento em que serão consolidados projetos marcados pela retirada de direitos, redução do estado, baixa renovação política, enfraquecimento do movimento sindical, entre outros pontos.

SINDIFISCO participa da posse dos novos titulares da Sefaz e da PGE

19/01/2018

O presidente do SINDIFISCO-MT, Ricardo Bertolini, considerou positivas as declarações do novo secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, e da nova procuradora-geral do Estado, Gabriela Novis Neves Pereira Lima, durante solenidade de posse realizada nesta quinta-feira (18 de janeiro). Segundo ele, ambos demonstraram vontade de melhorar a gestão fiscal e tributária do estado.

“Nós vimos com bons olhos as declarações do secretário Rogério Gallo na cerimônia de posse, as medidas que ele pretende tomar”, avaliou Bertolini. Entre elas está a priorização do ajuste fiscal, que é a adequação dos gastos do estado ao que prevê o orçamento. “O controle dos gastos públicos vem sendo defendido pelo Sindicato já há muito tempo”, frisou.  

Outra medida anunciada pelo novo titular da Sefaz que o sindicalista considera acertada é o compromisso de não dar trégua aos sonegadores de impostos. “No ano passado, em evento da FENAFISCO, um dado que chamou bastante atenção foi o de que a sonegação fiscal faz o país perder R$ 500 bilhões por ano”, lembrou Bertolini. O sindicalista enalteceu também a fala da procuradora-geral, que se comprometeu na intensificação das ações judiciais de cobrança de impostos.

Bertolini elogiou ainda a promessa de Rogério Gallo de revisar os incentivos fiscais. Segundo Bertolini, há uma necessidade premente de mudança em Mato Grosso, onde os recursos públicos para este fim são mal aplicados.     

Sindicato de MT pede suspensão de campanha do MBL contra servidor

22/01/2018

O Sindicato de Fiscais de Tributos do Estado de Mato Grosso (SINDIFISCO-MT) protocolou esta semana uma ação por danos morais coletivos por conta de uma campanha difamatória divulgada pelo Movimento Brasil Livre (MBL). 

A atuação faz parte de uma estratégia coordenada pela Federação Nacional do Fisco (FENAFISCO) para suspender a veiculação da campanha do MBL, que difama de forma generalizada os servidores públicos tentando forjar uma imagem e manipular a opinião pública de que eles seriam os culpados pela suposta existência de um rombo na previdência pública.

“É uma campanha que ataca os servidores públicos de todo o país sem trazer elementos que levem à reflexão sobre o real problema da previdência no Brasil. Não é privar a expressão do movimento a favor da Reforma da Previdência, é atuar de forma a evitar abusos e inverdades sobre a origem do problema”, afirma o presidente do SINDIFISCO em Mato Grosso, Ricardo Bertolini.

Além de Mato Grosso, os sindicatos dos Agentes Fiscais de Renda de São Paulo (SINAFRESP), o de Auditores Fiscais de Pernambuco (SINDIFISCO-PE) e  Auditores Fiscais do Acre (SINDIFISCO-AC) estão entre os primeiros a proporem ações por danos morais coletivos.

A campanha divulgada pelo MBL nas mídias sociais e whatsapp reforça uma tese, sustentada pelo Governo Federal, autor da proposta da Reforma da Previdência, de que é necessário cortar privilégios e que os servidores públicos federais, estaduais, distritais e municipais são os culpados.  

Na ação, o SINDIFISCO-MT afirma que a campanha tem o objetivo de colocar a população contra os servidores públicos a partir da divulgação de fatos inverídicos, como a infâmia de que os servidores são todos marajás às custas do “roubo” do dinheiro dos mais pobres. Outro entendimento sobre a campanha que serve de argumento para a ação é que o MBL usa de terrorismo para impor temor aos aposentados para buscar apoio à reforma da previdência.

A ação, protocolizada dia 15 de janeiro, tramita na 10ª vara cível da Justiça Estadual de Mato Grosso, sob a numeração nº 1000527 – 96.2018.8.11.0041          .

CADASTRE-SE

Receba nossos melhores conteúdos, sugestões de pautas e convite para eventos diretamente no seu e-mail.

CONTATO